sábado, 12 de agosto de 2017

A transição do Benfica e a exposição do Braga




O jogo entre Benfica e Braga na quarta-feira ficou marcado pela forma como o Benfica chegou rapidamente à área adversária após recuperar a bola, sendo o primeiro e terceiro golo consequência directa disso mesmo.

Além da competência dos encarnados neste momento do jogo, salta à vista a exposição dos bracarenses que além dos dois avançados colocaram os médios ala (Xadas e Vuckcevic) por dentro e entre linhas fazendo com que no momento da perda de bola estes 4 jogadores rapidamente ficassem fora da jogada, sendo também ao Benfica mais fácil pressionar em superioridade numérica no meio-campo ofensivo. A somar a isto, algumas abordagens duvidosas dos jogadores bracarenses que saíram à pressão quando o melhor parecia ser guardar posição pois a desvantagem era evidente

A capacidade do Benfica em transição começa logo nos elementos da linha defensiva que se revelaram capazes de no momento de interceptar o passe, a um toque, realizarem o passe vertical que colocava a bola dentro do bloco adversário ou até nas costas dos centrais. Neste aspecto, especial destaque para Luisão que contribuiu em muito para os desequilíbrios criados. Seferovic e Jonas mostraram-se disponíveis para receber estes passes e a linha média igualmente rápida a juntar aos dois da frente para dar apoio frontal e seguir jogada. Quase sempre a procurar largura onde podia aparecer Jonas ou Salvio, solicitados no momento certo. Portanto, o Benfica conseguia jogar dentro do bloco adversário com vários jogadores que davam apoio ao portador da bola mas também profundidade.

Aqui o lance que dá origem ao primeiro golo. Pressão a Esgaio em situação de 1x3, bola sobra para Eliseu que de primeira joga em Seferovic entre linhas, apoio de Jonas à largura e desequilíbrio criado. Nota para a exposição do Braga, quando Eliseu toca na bola com espaço não há ninguém próximo para pressionar e já estão 4 jogadores fora do lance, estas são as condições ideais para atacar rapidamente, e sendo este um dos pontos fortes do Benfica, não foi desperdiçado


1 comentário:

  1. Eu vou comer no "sopas dos Pobres" tudos os dias! Putugal é um país pobre, mais eu gosto de ser racista para o Brasil, tudos os pretos e espanhóis ... ignorância faz parte da minha cultura portuguêsa!!!

    ResponderEliminar